Google+ Meu Mundo: Ata-me

sábado, 24 de março de 2012

Ata-me


Tem coisa mais gostosa do que algo pra te deixar bem apertada na hora H?

Tá, eu sei que tem um monte de gente que vai dizer que tem, mas como eu não vou ouvir e o blog é meu, então não, não tem! Pelas minhas experiências "casamentícias", descobri essa vocação na vida: ser amarrada! Eu simplesmente a-do-ro!

Sim, sou fã de bondage! De todos os tipos, se tiver um tapinha, um chicotinho, então… ui! Claro que tudo tem que ser intercalado com beijinhos e carinhos, mas um nozinho ou algema bem apertado nos pulsos para deixar uma mulher bem submissa e vulnerável é tudo na vida!

Não venha me dizer que Freud explica, porque Freud e todos os outros que tentam analisar o sexo ficam bem de fora do "meu mundo" (livros, filmes, quadrinhos, etc...). Eu comecei que nem todo mundo, um lencinho pra amarrar as mãos, um lencinho pra mão e outro para os olhos, um para mão, um para os olhos e outro para as pernas e quando vi estava parecendo uma minhoca!

Depois que você se permite amarrar ao gosto do freguês (sim, tem que se ter alguma intimidade!), é um caminho sem volta. Claro que você ainda vai gostar daquela rapidinha em pé no banheiro da balada, no carro naquela rua deserta, etc., mas o bondage sempre vai ter gostinho de quero mais.

Na última vez eu fui amarrada com as pernas dobradas (de joelho) abertas e com as mãos para trás. Acho que não poderia ficar mais vulnerável. As cordas estavam bem apertadas e quanto mais eu tentava me mexer, mais marcas elas deixavam em mim. Claro que (sim, depende da habilidade do parceiro) chega um momento que você simplesmente não consegue deixar de se mexer, daí é que o bicho pega!

Além da submissão (e acredite, cuidado para não se asfixiar no seu parceiro ou parceira) tem aquela parte boa que o nosso lado preguiça adora: você tá amarrada, né? É óbvio que o companheiro ou companheira vai ter que se empenhar bastante. Mas, não se preocupe com isso, para quem vir você dessa maneira, toda amarrada, vai ser um prazer venerar a forma que o seu corpo pode tomar.

Com um bom arsenal (muita yoga, algemas e correntes ou uma boa corda de algodão se você for iniciante, de cânhamo ou sisal se quiser marcar lindas, porém doloridas e uma tesoura para o caso de qualquer emergência), o mínimo de habilidade e alguma imaginação, fica aqui então a minha receita para uma noite pra lá de quente!

blog comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...